...

Escritório de arquitetura está lançando arranha-céus futuristas infláveis

por Blog do Canal

A empresa de arquitetura Zumo divulgou algumas imagens de tirar o fôlego em seu Instagram de arranha-céus infláveis que a empresa afirma também serem sustentáveis.

“Imagine arranha-céus imponentes que se elevam como balões colossais, transformando o horizonte da cidade com sua presença inspiradora. Apresentamos o conceito revolucionário de arranha-céus infláveis, onde as maravilhas arquitetônicas e a inovação sustentável se unem”, diz a legenda das imagens.

As estruturas semelhantes a balões ainda não são reais. São ainda apenas algo imaginado pela Midjourney. Mas eles logo podem se tornar uma realidade.

As ilustrações mostram os arranha-céus flutuando sobre cidades de Nova York a Tóquio e de Londres a Dubai. Eles parecem ser construídos com materiais leves e flexíveis e são, segundo a empresa, sustentáveis.

O escritório Zumo não dá detalhes sobre como essas inovações seriam sustentáveis se algum dia vierem a existir, mas podemos imaginar que elas poderiam ser facilmente demolidas para serem reutilizadas em outro espaço, se necessário.

Eles representam um futuro em que nossos prédios podem sobrevoar nossos horizontes sem incorrer em uma pegada de carbono prejudicial. Esses arranha-céus infláveis têm tanto a ver com construir verde quanto com construir alto.

Os arranha-céus infláveis de Zumo. Zumo/Instagram

Tomando inspiração

Os arquitetos podem querer se inspirar na Torre de Xangai, um exemplo brilhante das etapas necessárias que os arquitetos devem seguir para produzir edifícios com eficiência energética. Concluída em 2015, a Torre de Xangai é atualmente o segundo edifício mais alto do mundo e possui a classificação energética mais alta possível – LEED Platinum – apesar de se erguer sobre o horizonte de Xangai.

Outro arranha-céu infável de Zumo. Zumo/Instagram

A torre usa tecnologia e engenharia de ponta para reduzir seu impacto ambiental. Sua forma e design únicos permitem resistir efetivamente à carga do vento, o que economizou 20.000 toneladas métricas de reforço de aço durante sua construção. Também possui uma enorme dependência de energia limpa e renovável, reduzindo significativamente o consumo e as emissões da torre. Este é um sucesso histórico na China, onde a poluição e o consumo de energia são destrutivos e alarmantes há décadas.

Essas novas estruturas infláveis podem seguir os passos da torre? Eles introduzirão energia verde e métodos de construção inovadores para reduzir as emissões resultantes de sua construção?

Por enquanto, essas torres permanecem apenas um sonho: algumas imagens cuidadosamente elaboradas que oferecem esperança de um horizonte melhorado. No futuro, no entanto, eles podem ser muito mais.

Fonte: Interesting Engineering.

Você pode se interessar por

Deixe uma resposta

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00