...

Cientistas desenvolvem um tipo de vidro que pode aquecer ou resfriar ambientes

por Taina Bueno

Uma equipe de pesquisa internacional liderada pela Nanyang Technological University (NTU) de Singapura, desenvolveu um material de vidro “auto-adaptável” que pode aquecer ou resfriar ambientes.

Reportado em artigo da revista Science, o vidro responde automaticamente às mudanças de temperatura, alternando entre aquecimento ou resfriamento.

Ele foi desenvolvido usando camadas de compósito de nanopartículas de dióxido de vanádio, poli (metacrilato de metila) e revestimento de baixa emissividade para formar sua estrutura única.

O vidro economizador de energia não possui componentes elétricos, mas atua explorando os espectros luminosos responsáveis ​​pelo aquecimento e resfriamento.

Durante o verão, ele suprime o aquecimento solar (próximo à luz infravermelha) enquanto aumenta o resfriamento radiativo (infravermelho de onda longa) – um fenômeno natural onde o calor é emitido através das superfícies em direção ao frio – para resfriar o ambiente. No inverno, ele faz o oposto para aquecer o ambiente.

Segundo a equipe, testes de laboratório realizados com uma câmera infravermelha para visualizar os resultados mostraram que o vidro permitia uma quantidade controlada de calor em diversas condições (de temperatura ambiente até acima de 70°C) comprovando sua capacidade de reagir dinamicamente às mudanças nas condições climáticas.

O investigador principal da pesquisa, Dr. Long Yi, da Escola de Ciência e Engenharia de Materiais da NTU, disse: “A maioria das janelas que economizam energia hoje lidam com a parte do ganho de calor solar causado pela luz solar visível e próxima ao infravermelho. No entanto, os pesquisadores muitas vezes negligenciam o resfriamento radiativo no infravermelho de longo comprimento de onda.”

Vidro “auto-adaptável”. Fonte: NTU/divulgação.

“Embora inovações com foco no resfriamento radiativo tenham sido usadas em paredes e tetos, essa função se torna indesejável durante o inverno. Nossa equipe demonstrou pela primeira vez, um vidro que pode responder favoravelmente a ambos os comprimentos de onda, o que significa que pode se auto-ajustar continuamente para reagir a uma mudança de temperatura em todas as estações.”

A equipe da NTU acredita que sua inovação oferece uma maneira conveniente de conservar energia em edifícios, uma vez que não depende de componentes móveis, mecanismos elétricos ou bloqueio de vistas para funcionar.

Uma patente de Singapura foi registrada para a inovação, e as próximas etapas incluem o objetivo de um desempenho de economia de energia ainda maior, trabalhando no design do revestimento nanocompósito.

Fontes:

NTU team develops energy saving glass. The Engineer. 17 de dezembro, 2021.

Scalable thermochromic smart windows with passive radiative cooling regulation. Science. 16 de dezembro, 2021.

Você pode se interessar por

Deixe uma resposta

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00