...

Primeiro projeto mundial a usar concreto autorreparável

por Taina Bueno

Um projeto inédito liderado pelo especialista em engenharia sustentável da Universidade da Austrália do Sul, professor Yan Zhuge, está testando uma nova solução para interromper níveis sem precedentes de corrosão nos dutos de concreto envelhecidos do país.

Ácido corrosivo de bactérias oxidantes de enxofre em águas residuais, junto com cargas excessivas, pressão interna e flutuações de temperatura estão rachando canos e reduzindo sua vida útil, custando centenas de milhões de dólares para consertar todos os anos em toda a Austrália.

O concreto autorreparável, na forma de microcápsulas preenchidas com lodo de tratamento de água, pode ser a resposta.

“Os resíduos de lodo prometem mitigar a corrosão microbiana em canos de esgoto de concreto porque funcionam como um agente de cura para resistir à corrosão ácida e curar as rachaduras”, diz o professor Zhuge.

Os pesquisadores desenvolveram microcápsulas com um invólucro sensível ao pH e um núcleo de agente de cura contendo lodo – um subproduto de estações de tratamento de águas residuais – e pó de hidróxido de cálcio. A combinação é altamente resistente à corrosão induzida microbianamente.

Águas residuais de uma fábrica, fluindo pelo cano de esgoto de concreto com corrosão. Imagem de: University of South Australia.

Essas cápsulas serão incorporadas ao concreto na etapa final da mistura para protegê-lo contra quebras. Quando o valor do pH muda à medida que os níveis de ácido aumentam, as microcápsulas liberam os agentes de cura.

“Essa tecnologia não apenas prolongará a vida útil das estruturas de concreto, economizando mais de US$ 1 bilhão para a economia australiana, mas também promoverá uma economia circular ao reutilizar o lodo que normalmente acabaria em aterros sanitários”, diz o professor Zhuge.

Fonte: University of South Australia.

Imagem de capa: wal_172619 por Pixabay.

Você pode se interessar por

Deixe uma resposta

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00